Princípios BÍBLICOS
Estudo 10: Vida em Cristo
Estudo Bíblico | Oração | Pregação | Vida na Igreja | O Partir do Pão | Casamento | Cooperação | Perguntas

10.3 Pregação

Uma das grandes tentações que nasce do conhecimento do verdadeiro Deus é a de tornar-se egoísta espiritualmente. Nós podemos estar tão satisfeitos com nossa própria relação pessoal com Deus, tão absorvidos em nosso próprio estudo bíblico e em nossa espiritualidade, que podemos negligenciar a divisão disto tudo com os outros tanto nossos companheiros de fé quanto o resto do mundo à nossa volta. A Palavra de Deus, e o verdadeiro Evangelho que é encontrado dentro dela, é equiparada à uma luz ou a uma lâmpada ardendo nas trevas (Sl. 119:105; Pv. 4:18). Jesus destacou que ninguém que possua tal luz deve colocá-la sob uma candeia, mas sim mostrá-la publicamente (Mt. 5:15). "Vós sois a luz do mundo" pelo fato de serem batizados em Cristo, "a luz do mundo" (Mt. 5:14; Jo 8:12). "Não se pode esconder uma cidade edificada sobre um monte", continuou Cristo (Mt. 5:14).

Se realmente vivermos uma vida de acordo com o Evangelho que compreendemos, nossa "santidade" será evidente para aqueles com quem vivemos. Nós seremos incapazes de disfarçar o fato de que estamos "separados" na esperança do Reino, e ao mesmo tempo "separados de" seus caminhos mundanos.

Com discernimento devemos procurar compartilhar o nosso conhecimento da Verdade com todos aqueles com quem entramos em contato: dirigindo as conversas para temas espirituais, discutindo doutrina com membros de outras igrejas, distribuindo panfletos, e até mesmo colocando pequenos anúncios nos meios de comunicação locais, são todos meios através dos quais podemos fazer nossa luz brilhar. Nós não devemos pensar que podemos deixar a tarefa de testemunhar para outros fiéis; cada um de nós possui uma responsabilidade individual. Os cristadelfios tem relativamente poucas atividades organizadas de pregação em larga escala, comparados a outros grupos. Cada um de nós, individualmente, faz o que pode, e muito disso às nossas próprias custas.

Uma das formas mais bem sucedidas de pregação é explicar nossas crenças a nossas famílias e àqueles com quem mantemos contato próximo. Aqueles cujos companheiros não compartilham da fé, devem explicar suas crenças a eles de forma clara, apesar de que uma vez feito isto, não é recomendável continuar trazendo este assunto à discussão ou exercer qualquer tipo de pressão sobre eles. Deus não quer convertidos pressionados. Nosso dever é testemunhar da Verdade sem preocupação sobre o volume de respostas a ela. Nós temos uma grande responsabilidade em dar este testemunho. (Ez. 3:17-21); se Cristo vier durante nossa vida "dois estarão no campo; um será tomado e o outro será deixado" (Lc 17:36). Seria, na verdade, estranho se não tivéssemos falado à nossa família e aos nossos colegas sobre a segunda vinda de Nosso Senhor quando ela ocorrer.


  Back
Home
Next